Terça-feira, 20 de Junho de 2006

Andaimes (parte 2 de 4)

Nomenclatura

Elementos componentes

         Prumos

         Travessanhos

         Poleias ou ploés

         Guarda costas

         Guarda cabeças

         Travessas diagonais

         Tábuas de pé

         Prumos

        Elementos verticais destinados a suportar os esforços transmitidos pelas outras peças do andaime e descarregá-los no solo

         Travessanhos

        São elementos horizontais encarregues de travar os prumos na direcção perpendicular ao plano do andaime ligando-os à parede ou a outra fiada de prumos. Também servem de apoio às tábuas de pé

         Poleias ou polés

         Conjunto de dois elementos em forma de esquadro que se ligam aos prumos e servem tal como os travessanhos para assegurar o travamento em plano perpendicular ao plano do andaime e servem também para o apoio de tábua de pé

         Guarda costas

         Elementos horizontais dispostos paralelamente às tábuas de pé e situadas a 0,90 e 0,45 metros acima delas, cuja principal função é proteger o trabalhador de queda do andaime, mas que também serve para assegurar o travamento longitudinal do andaime. Devem ser solidamente ligados aos prumos à altura normal de um anteparo

         Guarda cabeças

         Elementos horizontais dispostos ao longo das tábuas de pé que se destinam a impedir a queda de objectos colocados sobre as tábuas de pé. O guarda-cabeças, para além de impedirem a queda de materiais ao nível das tábuas de pé servem também como “travão” ao pé do trabalhador. O seu nome vem do facto de protegerem a cabeça dos trabalhadores que estiverem nos níveis inferiores.

         Dimensões mínimas de 0,14 x 0,025 metros

         Travessas diagonais

         Fazem o principal travamento entre prumos dispondo-se em cruz.

         Tábuas de pé

        Servem de plano de circulação aos trabalhadores e por vezes apoio a ferramentas e algum material de construção (costumam ser de madeira).

        São elementos de grande importância e por isso devem ser objecto de fiscalização cuidada

        Espessura mínima 4cm

        Largura mínima 18cm

        Devem ser assentes a partir dos prumos e bem encostados a eles, bem unidas entre si até cerca de 0,20 metros da parede do edifício (máximo permitido pela legislação é 0,45 metros).

        O número de tábuas de pé (mínimo) é de 4 para cada corredor dos andaimes para construção e duas (2) para os andaimes de conservação. Podem no entanto, permitir-se menos que quatro tábuas se for reconhecida vantagem técnica que o justifique.

        No sentido longitudinal as tábuas não devem ser sobrepostas a não ser nos empalmes a realizar sobre os travessanhos, em que a sobreposição deve ser pelos menos de 0,35 metros.

 

 

 

 

 

 

 

         Acidentes mais frequentes

        Problemas nos apoios (afundamentos)

        Queda de materiais pesados sobre pessoas por inexistência de guarda cabeças

        Concentração excessiva de trabalhadores ou materiais numa zona restrita de tábuas de pé

        Forças dinâmicas, trabalhadores correndo sobre as tábuas desencadeiam forças 3 vezes mais elevadas que o peso do operário.

(Clique para aumentar as imagens)

 

Temas:

blitzk às 21:26
# | comentar
|
Segunda-feira, 19 de Junho de 2006

Andaimes (parte 1 de 4)

Introdução

Um andaime é essencialmente uma estrutura, com uma ou mais plataformas, que permitem o acesso de pessoas para a realização de trabalhos acima do nível do solo

Estas estruturas são utilizadas geralmente, temporariamente, apesar de algumas terem o tempo total de duração de uma obra (designando-se estes de semi-permanentes).
Os andaimes podem ser constituídos no seu todo com materiais metálicos, com materiais de madeira e ainda com partes metálicas e outras de madeira.
Actualmente, apesar de ser ainda frequente a construção e utilização dos andaimes tradicionais de madeira, estes têm vindo a cair em desuso, estando a ser substituídos por andaimes metálicos ou outros, oferecendo melhores condições de segurança para os trabalhadores, tanto na sua montagem como utilização, e simultaneamente aumentam o rendimento de trabalho.
 

         Seja qual for o tipo, todos devem respeitar as seguintes condições:

        Segurança;

        Facilidade e rapidez na montagem e desmontagem;

        Leveza (importante no transporte);

        Possibilidade de reutilização e adaptação a obras com características diferentes.

Tipos / Funções de Andaimes

         Andaimes de Construção

        obras de construção

         Andaimes de Conservação

        obras de conservação

         Andaimes de Serviço

        quando se destinam a satisfazer as necessidades de circulação e trabalho do pessoal

         Andaimes de Segurança

        Quando se destinam a impedir ou minorar os efeitos das quedas de trabalhadores ou de materiais de construção e ferramentas

         Andaimes Torre

        Formados por uma estrutura muito estreita, destinados ao acesso de lugares muito elevados (como é o exemplo de construção de chaminés, pilares de viadutos), tendo como principal problema a estabilidade

         Andaimes de Carga ou Sustentação

        São estruturas que servem de apoio à cofragem, que depois da betonagem, suportam o peso e o impulso das peças betonadas, cuja concepção se afasta bastante dos outros tipos de andaimes

 

         Para cada uma destas funções, as características diferem, daí a enumeração de algumas considerações sobre essas diferenças:

        Do tipo de trabalho a realizar nas plataformas, das cargas a suportar, dos pontos de fixação possíveis, dependem as dimensões e a estrutura base do andaime

        Trabalhos ligeiros (pinturas, acabamentos, por exemplo) permitem a montagem de andaimes aligeirados, com plataformas mais estreitas, de modo a reduzir o mais possível o número de pontos de amarração à estrutura do edifício, esta, já pronta

        A execução de paredes obriga à construção de andaimes capazes de suportarem cargas elevadas nas plataformas, em segurança.

        Estas cargas podem ser estáticas (tijolos para construção, compressores ou máquinas de apoio, por exemplo) ou dinâmicas (nomeadamente as resultantes da movimentação de pessoal e de cargas sobre plataformas).

        Cada tipo de andaime é um caso especial. É fundamental que a sua concepção, montagem, utilização e fiscalização sejam feitas por pessoas competentes, responsáveis e conhecedoras das técnicas de cálculo adequadas.

         SITUAÇÕES DE UTILIZAÇÃO

        Trabalho em altura

        Longo período de utilização

        Execução de várias tarefas no perímetro dos edifícios

         PRINCIPAIS OBJECTIVOS

        Realização de uma plataforma de trabalho adequada

         Com minimização do risco de queda em altura

         Permitindo grande produtividade

         TIPOS

        De pés fixos ou móveis

        Geralmente metálicos

         CONSTITUIÇÃO E CARACTERÍSTICAS

        Dispositivos de nivelamento

        Estrutura geralmente tubular com acessórios ou dispositivos de junção

        Amarrações

        Travamentos

        Escoras

        Plataforma

        Guarda Costas

        Rodapé ou guarda cabeças

        Escadas

         CUIDADOS PRELIMINARES

        Cálculo

        Capacidade de carga do solo

        Condições do terreno (desnivelamentos)

        Estado de conservação dos componentes

         MONTAGEM

        Preparar e nivelar o solo para apoio do andaime

        Distância de cerca de 0,20m do edifício (máx. de 0,45m)

        Distribuir cargas no apoio

        Capacidade de resistência a cargas actuantes superior ao triplo da carga total de operários, materiais e peso próprio do andaime

        Plataforma com largura mínima de 0,60m

        Pendente da plataforma inferior a 15%

        Evitar montagem na proximidade de instalação eléctrica

        Amarrações no máximo a 8m (na horizontal) e 4m (na vertical)

        Execução de travessas ou diagonais de contraventamento

        Travamento dos prumos junto ao solo por intermédio de varas ou costeiras

        Acesso aos diferentes pisos por pranchadas ou por escadas com características regulamentares

        Execução de guarda costas

        Execução de guarda cabeças

         UTILIZAÇÃO

        Proibir acumulação de operários ou materiais na mesma zona do andaime

        Proibir utilização durantes temporais, chuvas ou fortes ventanias

         NORMALIZAÇÃO

        NP EN 10025 (1990)

        NP 4305

        EN 338

Legislação/ Normalização

         Decreto n.º 41821 de 11 de Agosto de 1958;

 

         NP EN 10025 (1994) ð NP EN 10025:1994/Errata Mar.:2002; NP EN 10025:1994/Errata :1996; Produtos laminados a quente em aços de construção não ligados Condições técnicas de fornecimento (aditamento A1:1993 incluído)

         NP 4305 ð NP 4305:1995 (Ed. 1); Madeira serrada de pinheiro bravo para estruturas. Classificação visual

         EN 338 ð NP EN 1912:2003 (Ed. 2); A presente norma lista classes de qualidade tendo em vista a resistência mecânica, espécies e origens das madeiras e especifica as classes de resistência da EN 338, às quais foram atribuídas.

         NP EN 10240:1998 (Ed. 1) ð 1.1 A presente Norma especifica os requisitos e ensaios relativos a revestimentos de galvanização por imersão a quente aplicados em instalações automatizadas (ver 3.9) em tubos de aço destinados às seguintes utilizações: a) instalações de gás e água, incluindo água destinada ao consumo humano; b) outras aplicações, por exemplo tubos para andaimes, perfis ocos estruturais. NOTA 1: Na presente Norma Europeia, o termo "tubo" também engloba o conceito "perfil oco". NOTA 2: Os revestimentos de galvanização a quente de tubos de aço manipulados (ver 3.10) após fabricação ou galvanizados em instalações não automatizadas, são especificados no prEN ISO 1461. A galvanização a quente de uniões e outros acessórios para tubos de aço são da competência da sub-comissão ECISS/TC 29/SC 3. 1.2 Além das especificações contidas na presente Norma Europeia, também as especificações da EN 10021 são aplicáveis, no que respeita ás condições técnicas de fornecimento.

         Revestimentos para protecção interior e/ou exterior de tubos de aço. Especificações para os revestimentos de galvanização por imersão a quente em instalações automatizadas.

 















Clique para aumentar as imagens

Temas:

blitzk às 22:42
# | comentar | (4)
|

Construção Civil

A partir do dia de hoje irá ser colocado aqui o dicionário da construção civil.
Irá ser colocado por ordem alfabética e com a tag dicionário.

Também iráo ser colocados os seguintes conteúdos:

Andaimes;

Guarda-Corpos;

Bailéus;

Redes;

Ductos de descarga;

Escavações;

Plataformas de Descarga;

Passagens com Protecção Superior;

Plataformas de Trabalho;

Plataformas Elevatórias;

Lingadas;

Sinalização;

Com a tag shst.


blitzk às 22:21
# | comentar
|
Visitante(s) online | Visitas


>Música:
EMO - Three Words



. Temas

. anedota(1)

. anedotas(41)

. bd(6)

. Dicionário(4)

. dicionário(2)

. É para rir?(1)

. filmes(5)

. futebol(10)

. humor(9)

. ilusão(1)

. imagens(67)

. letras(2)

. Música(14)

. música(7)

. noticias(1)

. poemas(4)

. shst(3)

. video(1)

. videos(20)

. todas as tags

PESQUISAR NESTE BLOG
 

. Posts Recentes

. Andaimes (parte 2 de 4)

. Andaimes (parte 1 de 4)

. Construção Civil

. Arquivos

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. participar

. participe neste blog

. Outros Locais

. subscrever feeds